Juruena - MT

História: Com a extração da borracha, na chamada “Terceira Borracha de Mato Grosso”, na década de 1960, e a grande movimentação de seringueiros, surgiram também garimpeiros que exploraram os rios na busca de ouro e diamantes. A colonização propriamente dita foi favorecida com os projetos do Estado de Mato Grosso, pela abertura da estrada AR-1 pela Codemat  e pelos incentivos fiscais do governo federal. A primeira arrancada de colonização foi através do Projeto de Colonização Juruena, administrado pela empresa colonizadora Juruena Empreendimentos de Colonização Ltda. quando, em meados de 1.974, efetuou o levantamento topográfico e demarcação de terras urbanas e rurais, incluindo a área para o aeroporto, de vital importância para a região e fundando oficialmente o projeto em 24 de setembro de 1978, cujo evento contou com a participação do governador do Estado de Mato Grosso. A vila urbana foi entregue com infraestrutura contemplando hospital, hotel, escola, serraria pica-pau e campo de pouso para aeronaves. Em meado de 1980, instalou-se uma grande indústria madeireira – Rohden, gerando necessidade de mão de obra, fortalecendo a economia do município e fazendo várias ações sociais, para a melhoria de qualidade de vida da população.  Em 07 de maio de 1982, através da Lei Estadual n. 4.455, foi criado o distrito de Juruena, vinculado ao município de Aripuanã e, em 04 de julho de 1988, pela Lei Estadual n. 5.313, de autoria do deputado Hilton Campos, foi sancionada a criação do município de Juruena. Hoje o crescimento econômico e social de Juruena é motivo de orgulho para todos os que integram aquela região.

 

População: 9.595 habitantes.

Limites: Castanheira, Aripuanã, Cotriguaçu, Juara e Nova Bandeirantes.

Distância de Cuiabá: 893 km.

Economia: Agricultura de subsistência e cultivo de culturas perenes, pecuária, extrativismo vegetal e o turismo.

 

As dificuldades da movimentação financeira eram muitas, pois não existia agência bancária na cidade, somente um posto de atendimento do Bradesco, com dificuldade de acesso pela população, muitas taxas e juros altos e cujo atendimento deixava muito a desejar. Como havia notícias na região sobre as facilidades de acesso que o Sicredi possibilitava a todos, grandes e pequenos, e o excelente atendimento pelos seus funcionários, na maioria contratados na própria cidade, despertou interesse da população em buscar a possibilidade de instalação de uma unidade da cooperativa de crédito.

Após muitas reuniões e esclarecimentos pela diretoria do Sicredi-Univales, resolveram correr atrás para viabilizar a abertura da unidade que foi condicionada a que se conseguisse ao menos 50 associados.

Houve dificuldades, a cota de capital era empecilho para muitos. A adesão se deu aos poucos. Como pessoas de conceito na cidade aderiram nessa busca, isso incentivou a outros a entrarem no sistema e viabilizando a instalação da unidade da cooperativa de crédito, comemorada com festa. Os primeiros 15 associados foram: Vivaldo Marcorio, Darci Vieira Lopes, Marcia Luzia Zefiro, Elisabeth Borges Comim, Joao Batista Rodrigues, Drogaria Juruena, Irineu Alltmann, Comin e Cia. Ltda., James Arte Comim e Cia. Ltda., Nelson Antunes Ribeiro, Sandra Cristina Lazeris de Souza, Jose Medeiros  de Souza, Laminados Vale do Juruena, Boaventura Faust e Wilmar Fischer.

 

“O Sicredi foi a opção de melhoria financeira para o município, atende a todos, pequenos e grandes”. – Gilberto Luis Colling

 

“No início não se tinha muita confiança e a aderência se deu aos poucos, mas hoje é um sucesso”. Adelar Gayeski